Até quando acreditar?

Imagem

Apesar de que a imagem pode ser forte para muitos, não é um artigo doloroso, ao contrário de uma pausa necessária e uma batalha vencida, porque o tempo ainda há por vir, dias de guerras e paz. E enfrenta os gigantes. Até pensei em escrever do hospital este post, qual fiquei internada por cerca de 15 dias, mas confesso, achei melhor chegar em casa. Sabe o significado da palavra mãe? Aquela que luta desde o início, e com todas as forças pelos seus filhos.

O susto – Uma forte dor, tamanha, e mudanças no organismo. O primeiro medo, trabalho de parto prematuro.

Quando cheguei na emergência, na madrugada de um final de semana, tive a satisfação de ser atendida pelo meu médico, o que me deu tranquilidade. Os primeiros sintomas mostravam uma infecção de urina, esta grande inimiga das grávidas. Não brinque é um perigo, entre os problemas a infecção pode ser transmitida ao bebê(bebês), a dor é prejudicial e pode provocar de aborto a partos prematuros. Exames e licença médica.

A dor era constante – Mais uma vez na emergência, médico que me acompanha estava viajando e os que me atenderam optaram pela internação, até porque haviam indícios a serem investigados, anemia e infecção. O motivo era algo quais eles queriam saber, porque minha gestação sempre foi considerada muito saudável. Primeiro ultrassom, suspeita de polidramnia e o encaminhamento para um profissional especializado para investigar.

Polidramnia é o excesso de líquido amniótico, que provoca inchaço no abdômen, crescimento de saco gestacional, e pode provocar o parto prematuro. E pode acontecer em mulheres diabéticas ( que não é meu caso), em mulheres com gestação de bebês com alguma má formação ( algo também descartado) ou em gemelares ( que deve ser investigado).

Enquanto fazia os exames e ficava em repouso absoluto, assistindo jogos pela TV do hospital, conversando com a família e amigos por videochamada, emails e Whatsapp, muita coisa aconteceu nestes dias. Não foi fácil achar um diagnóstico, e cada suspeita era dolorosa, cheia de desafios e uma pausa necessária que Deus proporcionou, para mostrar o controle que Ele tem na minha família, para mostrar o seu amor.

Enfim, diagnóstico e cirurgia, após exames preliminares, dois especialistas chegaram a um diagnóstico. Síndrome Transfusão Feto Fetal, numa gestação gemelar rara,(depois explico sobre ela) e a necessidade de uma cirurgia com urgência para salvar os bebês. A fé e a paz se encontra diante a desafios e ao limite do desespero. A primeira notícia que meus bebês poderiam nascer prematuros foi um desafio, entrar em repouso absoluto, ter que trabalhar “remotamente” da cama de um hospital, abalou, mas nada foi mais forte do que o medo de perdê-los. E colocar a fé em ação, foi possível pela certeza do cuidado de Deus para comigo, por muito que sei que Ele já fez na minha vida, mas também da oração e apoio de muitos.  O procedimento era delicado, imagina fazer algo dentro do seu útero, coladinho aos seus bebês, foi um conflito tamanho, entre medo e certeza que daria certo.

E chegou o dia, o procedimento cirúrgico foi um sucesso, o medo do parto prematuro ainda existe,mas a cada dia se afasta nos avanços da recuperação. Principalmente na fé que tudo está no controle de Deus. Nunca vi Deus tão presente, também pude compartilhar de muitas outras histórias, vim para casa com meus bebês crescendo ainda na minha barriga, recebi alta quando estava prescrito ficar no hospital até os bebês nascerem. A infecção foi resolvida, a dor passou, a causa da anemia e polidramnia era conhecida. E o amor de Deus reconhecido até pelos profissionais que estiveram comigo nestes dias.  Deus tem seus planos, e um jeito particular de dizer muitas coisas.

O repouso continua, o medo é algo que deu lugar a fé. E foi-se uma batalha e cada dia, semana, é uma vitória para mim, mas principalmente para os meninos. E louvamos a Deus as mudanças de planos? Por qual motivo que não? Às vezes é o caminho necessário, próprio para nos deixar mais próximos e fortes.  E os gêmeos estão aqui pulando na barriga da mamãe, cada injeção, cada dor, cada dia, cada coisa foi por amor a estes presentes lindos que Deus me deu. Tem coisas que só o amor de mãe é capaz. E espero, nesta doce espera, cheia de esperança, pelos meus bebês, saudáveis, especiais e escolhidos do Senhor, para fazer diferença, para serem diferença, para trazer coisas boas, como é amor de Deus, de geração a geração.

Obrigada meu Senhor!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s