Quero de bom pra minha vida

Imagem

Qual é a sensação de quando um sonho realiza? Quando as planos dão certo? Já parou para pensar quanto a gente se quer imagina que pode ser boa a felicidade. É muito mais, e porque temos medo da felicidade? Parece que dura pouco? Dura nada, ela está sempre presente, nos que desviamos os nossos pensamentos e não focamos às vezes no que é importante.

Às vezes um início de trabalho é difícil, já passei por isto, de chegar em um ambiente com todos os olhos desconfiados. Isto acontece principalmente quando você faz algo especializado. Um superior chega e te apresenta, esta pessoa vai solucionar e fazer um novo projeto. Lidando com isso aprendi muito sobre relacionamento humano, nos acomodamos, temos por vezes medo do estranho e do diferente. E não me interessa o superior, não porque eu quero fazer cena, mas porque normalmente me interessa quem é capaz de me ensinar, tem humildade para saber que independente de hierarquia, a vida não é um círculo fechado.

Otimizar o tempo, tenho conquistado muitas coisas por estes tempo. Tinha muitos planos e projetos, sempre fui cheia de sonhos. E foram um a um, lembro da vaga e da bolsa de estudos numa escola tradicional e disputada na minha cidade. Eram muitas crianças, talvez pela lógica, a filha de uma faxineira não teria a mesma chance que outras crianças. Mas me lembro da minha mãe cultivando os meus sonhos. “Temos que lutar e conseguir.” Uma criança de 10 anos incentivada a estudar seis horas por dia, final de semana parecia muita pressão. Mas foi assim que aprendi, e uma das vagas era minha.

Ontem era aniversário da minha mãe, me lembrei deste passo, porque foram muito outros, quando passei no Vestibular, também foi assim, foram três anos de estudos, e meus finais de semana eram limitados. E foi assim que aprendi inglês, redação e muitas outras coisas em casa. Em um banco, eu ficava estudando, às vezes queria sim sair dali, mas todos os dias tinha que estudar duas horas no mínimo. Se eu brincava? Claro, primos, primas, amigos de infância e vizinhos. Minha mãe era ótima mesmo, porque desde pequeno ela me ensinou sobre a vida, sobre lutar.

E não foi por sorte que passei no vestibular, estudando num colégio público cheio de problemas. Foram dois cursos disputados, ainda me lembro da minha mãe na minha formatura, agradeço a Deus por ela ter levantado o meu diploma comigo. Então carreguei isto para vida, otimizar o tempo. Como podia uma mulher semi-analfabeta, que tinha dois, três trabalhos, sem ajuda do meu pai, cuidar de tudo sozinha? Tinha sim uma bela família, mas mesmo cansada, lembro que tínhamos os nossos programas, escutar música, cantar, mesmo se fosse num sábado de madrugada, rir e rir muito de histórias. Tinha uma vizinha, que ainda é minha amiga que falava que achava um máximo ouvir eu e minha mãe dando risadas.

Imagem

Tem cinco anos que minha mãe morreu, são oito anos que o meu marido entrou na minha vida. A Marcela que ama o Tião, neste jogo aprendemos muito, de querer o melhor para nossa família. O tempo passou e muita coisa aconteceu. Planos mudam? Sim. Prioridades também. Uma das coisas que ele me ensinou foi focar o que bom para mim. Como um plantonista em saúde, ele tem uma forma engraçada de dizer? “Não deixe qualquer um barulhar seu plantão?”

Eu nunca trabalhei num hospital, na verdade meu convívio com corredores hospitalares foram na época da minha mãe, de uma vez ou outra que tive que ir no médico, ou de quando vou por algum motivo visitar o maridão. Enfim, quando se trata de vida, as coisas ficam muito mais severas. Então é preciso mesmo de foco para cuidar da vida de alguém que chega num hospital, seja para ganhar nenê numa maternidade ou num resgate de urgência e emergência. Imagina então perder tempo com coisas ou situações medíocres? Não tem jeito, na vida ou no hospital não deixem incomodar o seu plantão.

E vida a dois tem muito disso, aprendizado e companheirismo. A determinação que minha mãe me ensinou, o marido tem. Lembro quando decidimos nós dois que iriamos investir nos estudos, em concursos e buscar qualidade de vida. Caminhar juntos é bom, na trilha da vida, é bom às vezes ter em quem se apoiar, ao menos abraçar. Ele passou primeiro, cinco concursos em um ano, surpreendente. Não foi sorte, foi luta mesmo, madrugada, viagem dispensada, programas adiados, também teve a minha vez. Quando saiu a pós graduação, o marido resolveu mudar de ramo, e assim que ele ingressou no Direito.

Como se consegue tempo para sonhar, para família e outras coisas mais? Otimizando, lutando, você precisa plantar para colher, e às vezes é necessário preparar a terra, esperar o germinar da semente, o crescimento da árvore, para colher os frutos. O dia de hoje talvez foi lutado em um banco, quando tinha só dez anos, e por ele que nesta idade também já trabalhava, mas de verdade mesmo. E  histórias se faz de gente e gente se faz de sonhos, e sonhos se faz de luta e fé.

Quero tudo de bom para minha vida e para vida daqueles que eu amo, gasto meu tempo e meu tudo. E o prazer de realizar um sonho é esta certeza, que Deus sempre está presente, em cada passo, em cada dia. E isto sim é muito bom, lutar pelo que é bom, cuidar do que é bom, viver o bom.  Realizar um sonho é muito bom, sempre, muito bom mesmo.

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s