O português e as nossas brasilidades

Imagem

Já tive situações de conviver com várias linguagens e expressões. Gosto desta experiência, não tem algo mais vivaz do que a cultura, a língua,que se fala e que se ouve. O jeito como diz, a intensidade e a forma fonética de se viver o cotidiano, são coisas quais me encanta. Normalmente quando estou em um “local” assim, gosto de observar os detalhes. Não acredito numa língua homogênea, ainda mais quando se fala o Brasil, e não tem livro melhor para falar disso do que Preconceito Linguístico, de Marcos Bagno (#ficaadica).

No  meu trabalho recente, falo diariamente com brasileiros “mineiros” de Uberlândia, de Uberaba, os paulista de Paulínia, Santos, Presidente Prudente, tem também os de Riberão Preto, aí tem os de Brasília, os cariocas do Rio de Janeiro, mas também tem os de São Sebastião, Nova Friburgo, nordestinos do Maranhão, Rio Grande do Norte, sulistas do Paraná e como não dizer do Pará e do Amazonas. Quem acha que é só o sotaque, não pensa a grandeza que a flor de Lácio pode alcançar.

Português brasileiro tem destas coisas, cheio de neologismo, não é tão literal, tão intenso e grande como um país continental. Que digam também os dialetos indígenas. Sou uma defensora do Português, na verdade, da língua pátria respeitada. Tem gente que acha que é só luxo, mas vai além do que criticar posts e grafias erradas.

Um dos trabalhos de grandes companhias, por exemplo, e manter um bom programa de relacionamento com clientes ou com a comunidade envolvida numa obra, situação ou produto. ( Aí vão dos 0800 a trabalhos com a vizinhança de grandes obras públicas, como Portos, Indústrias,etc). Uma língua morta é uma cultura que se vai embora, por isso também é importante trabalhos de antropólogos e historiadores.

Nossa língua faz a diferença

Por isso todo cuidado com o Português, grafia, expressão e regionalismo, respeito, conhecimento e admiração. Não só de certo e errado, mas de interpretação. E quando o telefone toca, fico pensando que “português agora vou admirar?”, “oxente,vixe ou praiano”,”metropolitano ou interiorano”. Para quem gosta de gente,como amo, não tem coisa melhor.

Somos diferentes mesmo nisso, sabe qual é a crítica de alguns “portugueses de Portugal” com o Português brasileiro? Não levamos a sério a língua. Será?! Não é bem assim, porque eles, normalmente, são mais literais. Não existe trem de negócio, só trem de ferro, não é esta coisa ilógica, só se pode calçar as calças, vestir a camisola (camisa), você fala o que realmente é. Mas até lá tem suas diferenças. Como há o alemão dos alemães e o alemão dos suíços-alemães. A diferença do inglês britânico com americano te assusta? Porque nunca comparou a distinção entre um americano da Costa Leste conversando com um americano da Costa Oeste dos Estados Unidos.E se não souber francês vai ter que comer McDonalds em Paris, a língua tem destas coisas. E por aí vai, até porque já disse Nelson Rodrigues:

Toda a unanimidade é burra

E o seu português é brasileiro,latino de onde?Quem não sabe sua língua, tão pouco sabe da sua história e da sua gente, de si principalmente. (#ficaadica2) Português : )

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s