Tragédia de um caminho errado

Imagem

Acho interessante compartilhar isso, a história de um jovem que ontem veio a falecer vítima das drogas. A história da dor de uma mãe. O caminho de escolhas erradas. A consequência de uma família desestruturada. Sou jornalista, entre os assuntos que trabalhei por anos estão ligados a segurança pública, qual editoria que fiz alguns trabalho ligados a este assunto que é tão comum.

Tem uns meninos que eu e meu esposo conhecemos do estacionamento, sempre quando vamos arrumar algo, ir no banco passamos por lá. Eles gostam muito inclusive do meu esposo que sempre está brincando com eles, orientando, prestando às vezes alguma ajuda e agrado, alguns ele conhece desde quando eram pequenos. Outros conhecemos bem a história, sabemos até quem são seus pais. Um destes meninos veio a óbito ontem. Na verdade a causa primária em si não foi o crack, mas está relacionado.

W. não vou nem querer usar o nome dele, na verdade conhecemos pelo seu apelido. Ele tinha alguns anos em uma briga, por causa de drogas, levado algumas facadas. Isto afetou seu intestino, na época ele quase morreu, não tinha nem dezoito anos completo. Usava uma bolsa, tinha feito uma colostomia. Atualmente tinha 21 anos, não aparentava, muito magro, muito descaído, por causa do abuso de drogas e álcool. Sei que a história dele é bem complicada, um pai violento com os filhos, com a esposa, que vive alcoolizado. Sua mãe casou de novo, mas ele foi muito cedo para as drogas, pela maconha, depois outras, enfiou-se no crack.

Normalmente tememos quando vemos estes jovens por aí, quando vemos crimes envolvendo adolescentes pedimos por mais punição, revisão de maioridade penal. Complicado explicar que estes jovens que vemos sujos por aí são mais rejeitados do que cachorros. Que as pessoas preferem abrigar cachorros e gatos do que eles. E quantas histórias assim são só exemplos de falta de disciplina e amor que estes meninos não tiveram. Por isso sou a favor e defendo bem mais as ações protetivas quando se fala em seres humanos, quando se fala em menores. E não me venham com esta, por que nunca um jovem deste matou alguém da sua família? E que não sabe já tive sim casos de violência, só que sei que não é uma prisão que vai resolver, mas que pode piorar, como está ficando cada vez mais triste. Não se trata ser humano como animal, tão pouco nem se tratam mais.

W. foi fazer uma cirurgia para retirada da bolsa, colostomia. Pelo danos da droga em seu corpo, debilitado pelos dias na ruas, noite se drogando, ele teve que ficar mais tempo internado. No desespero de uma crise de abstinência ele pulou, no domingo dia das mães, do terceiro andar do hospital em que ele estava. Não morreu na hora,mas ficou muito mal pela queda, teve hemorragia, ontem de manhã veio a óbito.

Estar no velório de um jovem destes que morrem pelas drogas se faz pensar em tantas coisas.  Quantas vidas tem sido dizimadas, famílias inteiras destruídas. Sei que dois primos deste menino também morreu por causa de drogas, assassinados, um deles inclusive ficava no mesmo ponto que o W. e muitos outros meninos, de 12 a 25 anos ficam. Talvez ninguém vê muitos eles, acha certo quando morre quase toda semana um mendigo na cidade. A mãe deste menino estava tão mal. Já a conhecia, assim como a irmã inconsolável, o irmão, nem um dos três são narcóticos mas sentiram os efeitos da droga. Como se fosse uma luta perdida diante a um caixão.

Fui com meu esposo e outro casal de amigo no velório, eu e minha amiga fomos arrumar sanduíches, café e chá. Meu esposo também foi no enterro. Vi que as pessoas olhavam para gente, tinha muitas crianças, até bebês, além dos familiares, conhecidos, não vimos nenhum dos meninos que eram amigos dele, que trabalhavam com ele. Normalmente é assim, não culpamos eles, a primeira coisa que a droga faz é tirar o amor, primeira por si próprio e pelo outro. E não tinha também talvez outros clientes do estacionamento, nem tão pouco as pessoas que nem olhavam ou xingavam eles na rua. Mas tinha muitas pessoas, seres humanos que outros humanos normalmente não querem ver. E que ilusão, pobre ou rico tudo termina em um caixão, infelizmente alguns por tragédias assim, de escolhas, de desprezo e falta de amor.

Que história assim não se repita, com tanta normalidade. Que mães não passem por o que eu chorei vendo aquela mãe, uma dor insuportável, que só Deus consola.

“… amai o próximo, como a ti mesmo.” ( O próximo, o mais próximo).

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s